China vai captar energia solar através do espaço

Uma nova corrida espacial está sendo travada entre a China e os Estados Unidos, que pretendem obter energia solar através de uma usina fotovoltaica instalada no espaço.

O que parece ser uma cena de filme está se transformando na nova corrida no espaço pela obtenção de energia limpa através de uma fonte renovável. De acordo com a China, até 2049 a usina fotovoltaica instalada no espaço estará produzindo 1 GigaWatt de energia elétrica.

Ao custo de US$ 100 milhões, a usina fotovoltaica no espaço começou a ser desenvolvida em 2018 como um projeto experimental pela China. Além do país asiático, os Estados Unidos estão desenvolvendo um projeto semelhante, em busca de obter energia limpa usando uma fonte renovável.

Longe do espaço, a Light DeFi também desenvolve uma usina fotovoltaica, e aproveita as condições climáticas ideais que o Brasil possui para instalar um módulo em breve na Bahia.

Energia solar do espaço

Em breve os Estados Unidos e a China terão uma grande produção de energia limpa com uma usina fotovoltaica construída no espaço, que utilizará o sol para abastecer os países.

Antes de anunciar o desenvolvimento da estação de energia no espaço, a China concluiu um projeto experimental que usou um balão a 300 metros de distância do solo para receber a carga transmitida por um feixe de energia.

Com o projeto finalizado, o país pode usar um dirigível para garantir a transmissão de até 1 GW. Nesse caso, o balão ficará a 20 km de altura, para coletar a carga que será transmitida pela usina.

Brasil é potência de energia solar

Assim como a China, os Estados Unidos também estão desenvolvendo uma usina fotovoltaica fora do planeta Terra que será lançada em 2023, chamado Projeto de Energia Solar Baseado no Espaço (SSPP).

Enquanto a China e os Estados Unidos usam o espaço para obter energia solar, o Brasil possui condições climáticas que favorecem a exploração desse tipo de energia renovável.

Por receber energia do sol praticamente o ano inteiro, a incidência solar no país diária varia entre 4.444 Wh/m² a 5.483 WH/m², segundo informações do Atlas Brasileiro de Energia Solar.

Dessa forma, não é preciso ir até o espaço enquanto o Brasil possui uma enorme capacidade de produção de energia solar. É por isso que a Light DeFi (LIGHT) escolheu o país para desenvolver sua primeira usina fotovoltaica.

Enquanto a China planeja obter 1 MW de eletricidade através de uma usina fotovoltaica no espaço até 2030, em breve a Light DeFi inicia a construção do primeiro módulo da usina fotovoltaica do projeto na Bahia que produzirá 1 MW, a mesma potência da usina chinesa no espaço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *