O que é PancakeSwap?

Não é incomum encontrar no mercado de criptomoedas algumas plataformas que levam o nome de comida, como a PancakeSwap. Embora pareça sugestivo num café de manhã tradicionalmente estadunidense, a plataforma PancakeSwap não serve para vender panquecas.

Assim, ao invés de negociar comida, através da PancakeSwap é possível comprar e vender inúmeras criptomoedas sem o uso de intermediários, como o token Light DeFi (LIGHT).

Existem exchanges centralizadas, como a Binance, e exchange descentralizadas (DEX), como a PancakeSwap. A diferença entre as plataformas está na governança. Enquanto a Binance é mantida por um negócio centralizado, ninguém é dono da PancakeSwap, um projeto de Finanças Descentralizadas (DeFi).

Através da PancakeSwap é possível negociar qualquer token DeFi que foi desenvolvido pela rede da Binance Smart Chain (BSC), como é o caso da Light DeFi.

Conhecida como uma exchange descentralizada, a PancakeSwap funciona como Automated Market Maker (AMM), onde as transações de compra e venda de tokens são registradas praticamente de forma automática através da tecnologia blockchain.

Criada no segundo semestre de 2020, a PancakeSwap rapidamente ganhou o mercado de finanças descentralizadas e representa uma atualização da Uniswap, que é voltada para a rede Ethereum, enquanto que a PancakeSwap atende mais tokens emitidos na rede da Binance Smart Chain.

Cake (CAKE)

Por ser considerada uma exchange descentralizada, a PancakeSwap não utiliza mecanismos de consenso que dependem da mineração de dados, como a Prova de Trabalho. Ao invés disso, a plataforma aposta em manter pools de liquidez para cada par de negociação existente na exchange.

Ou seja, a PancakeSwap é operada por um mecanismo de Prova de Participação, Proof of Stake, famoso entre projetos DeFi. Através desse mecanismo, a plataforma consegue prover liquidez para as transações registradas.

Para sustentar todo esse ecossistema, a PancakeSwap desenvolveu então uma criptomoeda para chamar de sua. Conhecida como Cake (CAKE), esse token pode ser usado em pools de liquidez da DEX.

Considerada a maior exchange descentralizada do mundo, a PancakeSwap movimenta mais de R$ 7 bilhões diariamente, segundo dados atualizados do CoinMarketCap.

Com essa movimentação, sozinha a PancakeSwap corresponde a 18,24% de todo o mercado DEX que existe hoje. Enquanto isso, o token CAKE é considerado um dos maiores do mercado DeFi sendo avaliado em mais de US$ 5 bilhões e apresenta um volume médio diário de US$ 510 milhões.

Yield farming

Em busca de garantir liquidez para os inúmeros pares de negociação registrados na exchange descentralizada, a PancakeSwap possui um programa de recompensas conhecido como Yield Farming.

Através desse programa, os usuários trancam saldos em criptomoedas em pools de liquidez para garantir que as transações deverão ocorrer normalmente na PancakeSwap, que utiliza um mecanismo de Prova de participação (proof of Stake).

Em troca, a DEX paga uma recompensa em criptomoedas LP aos usuários que mantiveram o saldo armazenado na plataforma, que é calculada anualmente através de um APY.

Para participar do programa de Yield Farming da PancakeSwap o usuário deve possuir saldo nos dois tokens presentes no par de negociação que ele pretende prover liquidez. Por ex: CAKE-BNB.

Staking

Os usuários da PancakepSwap podem ganhar recompensas duas vezes, fornecendo liquidez para a plataforma em outro pool de liquidez conhecido como Syrup pool. Ao inserir saldo em criptomoedas no Yield Farming, os investidores recebem tokens LPs.

Esses tokens funcionam como um ticket que corresponde ao saldo do usuário em criptomoedas que foi armazenado em um par de negociação do programa de recompensas Yield Farming.

Com esse LP, o usuário pode alocar o token em um novo programa de recompensas, conhecido como staking. Assim, como a Yield Farming, no staking é oferecido recompensas em criptomoedas para os detentores de saldos retidos pelo protocolo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *